Arquivo da categoria: rock

Mês do Rock And Roll

Chegamos finalmente no mês de Julho. E no dia 13 de julho comemoramos o Dia Mundial do Rock e como nunca deixamos passar em branco, que tal fazermos uma pequena homenagem?

Durante este mês de festa, vamos trocar nossas fotos de perfil ou avatares de nossas redes sociais pelas fotos de nossos ídolos do Rock And Roll?

Esta é só uma das pequenas maneiras que temos em homenagear todos os nossos astros, ídolos, heróis. E não comemoramos, celebramos o vivemos o rock’n’roll apenas um dia do ano, mas todos os dias de nossas vidas, pois o rock’n’roll é eterno!

dia mundial do rock

 

E para quem não sabe a origem da data, acesse o texto Dia Mundial do Rock e saiba mais.

 

@patitagil

Anúncios

Pitty volta ao rock and roll

Pitty

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 2013 a baiana mais arretada da música brasileira volta ao bom e velho rock and roll! Pitty já está compondo músicas para o seu quarto trabalhado de estúdio com seus fiéis escudeiros Martin, Duda e Joe.

Depois do sucesso de “Admirável Chip Novo” (2003), o diferente “Anacrônico” (2005) e o maduro “Chiaroscuro” (2009) não esperamos nada menos do que tudo isso em seu novo disco.

O mais legal do intervalo entre o “Chiaroscuro” até hoje foi ver o amadurecimento de Pitty como musicista. Ela saiu quase que por completo do rock para lançar o excelente projeto Agridoce em que ainda contava com o guitarrista de sua banda, Martin Mendonça.

O projeto que ganhou a alcunha de “fofolk” mostrou a cantora de um jeito diferente; com letras interessantes, melodias diversas e experimentais; uma faceta que fez muita gente (preconceituosos de plantão) torcerem o nariz.

Meus destaques, falando em Agridoce, são Dançando e Romeu. Letras que definitivamente não caberiam na banda de rock de Pitty mas que se encaixaram muito bem com a proposta do duo.

Me pego pensando que gostaria de uma certa influência do Agridoce na nova empreitada roqueira de Pitty. Confesso que tenho medo do que pode dar, mas acharia no mínimo, interessante.

Sabe o que é engraçado? O último CD físico que comprei foi justamente o do Agridoce. Desde então não comprei mais nenhum. Só uma curiosidade.

Vamos esperar que o amadurecimento vindo desde “Chiaroscuro” e que passou brilhantemente pelo Agridoce apareça no novo disco de rock da Pitty. Tenho certeza que essa mudança fez muito bem a ela e certamente a quem estava a sua volta.

Agora resta torcer para que o disco novo saia ainda esse ano e que se possível, assim, só um pedido, que o Agridoce também não pare, afinal tem tanta gente aí com inúmeros projetos, enfim… Que a Pitty continue mostrando suas facetas, seja no fofolk seja no rock and roll.

Precisamos de ambos.

 
Texto escrito pelo colunista Marcelo Coleto 

Marcelo_ColetoPublicitário por vocação, jornalista por paixão. Ou ao contrário. Acha que quase tudo é uma forma de arte e se expressa melhor escrevendo do que falando. Editor do Rock Noize, colaborador da Galeria do Rock, do Mistura Urbana e do Slipknot Brasil.


Banda Inabitual. Mais brasileiros nos dando orgulho no cenário rock’n’roll

InabitualVamos falar hoje da banda  Inabitual de Volta Redonda RJ. Os quatro integrantes (Eduardo Henrique, Duílio Ferronatto, Jhon Cruz  e Jeffei Estevão),  sonham em fazer da música seu eldorado comum. “Levante, lute, mude, critique”!

Suas letras trazem a conscientização de temas como: política, religião, educação, desigualdade social e assuntos e acontecimentos do cotidiano.

Atualmente a banda tem trabalhado na divulgação de seu último álbum lançado em 2012 “Homem Coletivo” trazendo  7 faixas que você pode baixar gratuitamente no site http://www.inabitual.com/

Pra conhecermos o som desta banda vamos assistir o clipe “Em Massa”

@patitagil


Uma palavra conhecida como ‘fã’

hatebreed

Fã, no dicionário encontramos o seguinte significado: Uma pessoa admiradora de outra pessoa ou algo.

Mas sabemos que é muito Maissssss do que isso. É uma relação, um sentimento imensurável, único para cada um.

Aquele friozinho na barriga que a gente sente quando escutamos um som novo, quando vamos no primeiro, segundo, terceiro show do nosso ídolo, aquela camiseta que compramos e que já tá surrado, desbotada, furada, aquele CD, DVD novo, ou até mesmo aquela relíquia que você já até perdeu as esperanças de encontrar, e quando você encontra inesperadamente para comprar e é tomado por aquele sentimento eufórico, adolescente, energizante.

Ser fã é ser um amigo, uma família, é você se sentir parte da família do seu ídolo, é sofrer e apoiar nas dificuldades, vibrar e pular nas alegrias, é defender com unhas e dentes quando vemos alguém falando mal e principalmente quando falam por falar, sem critérios. Ahhh, ser fã… é uma delícia, é você sempre escutar cada música com aquela magia, igualzinha da primeira vez que você escutou e por algum motivo te cativou.

E mais legal ainda, é quando do nada em uma conversa aleatória, você descobre que aquele seu amigo ou novo amigo curte a mesma banda que você, ops.. curte não.. é tão fã quanto você, e automaticamente sai aquela expressão: Você conhece essa banda????? Ah que demais! E aquele papo vira como se fosse uma conversa de entes queridos que não se encontram há muito tempo, é uma sensação inexplicável.

Ser fã é juntar moedinha por moedinha pra ir no show da sua banda, mesmo sabendo que o preço tá um absurdo, mas você faz o sacrifício, afinal não dispensamos  as oportunidade de ficarmos tão pertinho de nossos ídolo. É baixar o CD, mas fazer questão de comprar tudo original, pra guardar ali preciosamente como um tesouro.

Choramos, gritamos, vibramos, torcemos, entendemos, compreendemos, criticamos,  admiramos, amamos, veneramos, idolatramos… adjetivos nos faltam dizer.. mas ser fã é isso,  é uma palavrinha minúscula, mas com um sentimento gigante.

E adoraríamos saber qual é a banda que faz você ter este misto de sentimentos, conta pra gente 🙂
@patitagil


O Rock And Roll morreu?

rock and roll

Na semana passada escrevemos exclusivamente para o portal Rock de Verdade,  e compartilhamos com vocês o mesmo texto.

O Rock’N’Roll morreu?

Bom, faço a seguinte pergunta, pois após este último festival que tivemos aqui no Brasil que foi o Lollapalooza, acompanhando posts, tuites e textos vi que existem pessoas com uma certa repulsa por todas as bandas de rock’n’roll que surgiram do ano 2000 em diante, com a seguinte opinião: Rock que é rockrockbom, rock’n’roll mesmo só tivemos até os anos 80 estourando nos anos 90, depois disto, temos barulho, letras sem sentido e modinhas.

O que me faz pensar que, de fato, não há como comparamos as bandas dos anos 80 como: Guns N’ RosesRamonesThe CureBon JoviBilly IdolThe Police,MorrisseyDire StraitsU2, entre muitas outras grandes bandas com as bandas atuais. Conforme o passar dos anos, novos estilos surgiram, novas bandas, novos protestos, novos ideias também nasceram.

Não devemos ser tão enérgicos, existem ótimas bandas que sugiram após esta época, e continuem surgindo.

Temos inúmeras bandas com diversos estilos diferentes, para todos os gostos. Mas, vamos reconhecer que existem muitas bandas novas e com boa qualidade em suas composições.

E como não gosto de fazer comparações porque acho injusto, pergunto para vocês, quais são as bandas que vocês mais curtem? Sendo as mais antigas ou atuais, comentem no post. E vamos trocar conhecimento musical, respeitando o gosto do próximo e valorizando o rock’n’roll de boa qualidade independente de sua época.

PORQUE O ROCK’N’ROLL NÃO MORREU E NUNCA MORRERÁ, ELE SEMPRE VAI SE TRANSFORMAR!

@patitagil


Clipe Novo da banda brasileira Girlie Hell

Lançamento do vídeoclipe ‘Winter’ da banda Girlie Hell.

E a banda “Girlie Hell” só composta por garotas  começa o ano de 2013 com o pé direito, apresentando um ótimo trabalho.

Após o lançamento do CD “Get Hard” pelo selo Monstro Discos e a gravação do seu primeiro videoclipe “Fire”, sob um processo de composição que aproximasse mais seu Hard Rock do Metal, e em meio à correria de uma mini-tour nacional ao lado da banda sueca Crucified Barbara, a banda goiana GIRLIE HELL, no final de 2012 ainda arrumou tempo para gravar em São Paulo o seu novo single “Winter”.

E o som tá magnifico. Qualidade ao extremo!!!!

Este vídeo tem a direção de Mess Santos, a Movie 3 já garantiu várias bandas no Top 10 MTV, entre outros destaques em programas especializados.

Fire, o primeiro clipe da banda, citava a loucura de se viver em chamas por estar perdido de amor. Com a dor da perda em comum, Winter contrasta por ser uma música que fala de quando nos fechamos para todos os sentimentos, restando apenas um corpo na dormência de um vazio, mas um vazio que não queima e sim, congela.

Na opinião do produtor Marcello Pompeu, Winter lembra Alice in Chains em alguns momentos, L7 em outros. Talvez seja pelas influências de bandas grunge que a Girlie Hell carrega em sua existência. Entre riffs marcantes, em Winter também é notável uma pitada de Stoner Rock e até mesmo de Trash Metal, o que mostra que a Girlie Hell tem atitude e não teme em ousar na hora de trabalhar o seu som, fato este que deixa no ar uma boa expectativa em relação ao que ainda está por vir.

 Pra quem curtiu e quer saber um pouco mais sobre estas garotas do metal: Acessem a fan page  https://www.facebook.com/girliehell?fref=ts e o site: www.girliehell.com

Bullas Attekita – Voz/Guitarra Solo
Júlia Stoppa – Guitarra Base/Voz
Fernanda Simmonds – Baixo
Carol Pasquali – Bateria

@patitagil


Shadowside – O metal brasileiro na voz e nas mãos de uma mulher

shadowsideJá faz muito tempo estava para escrever um texto para falar sobre a Shadowside. Na verdade desde que escutei “Inner Monster Out”, último disco da banda, lançado em 2011.

Na verdade me culpo até hoje por isso mas chegou a hora de lagar a culpa para lá! Quando ouvi o álbum pensei que há muito tempo não havia algo de metal tão bom. Confesso que pensei algo como: “Combinação pefeita: disco de metal feito por uma banda brasileira e cantado por uma mulher… É o melhor que já ouvi nos últimos anos.”

“Inner Monster Out” é um disco de metal completo: ótimos riffs de guitarra, uma bateria cavalar e um baixo extremamente competente e é óbvio, a voz perfeita de Dani Nolden.

A vocalista entoa os “hinos” do álbum de extraordinária, como a ótima Angels In Worms, segunda faixa do trabalho.  Destaque também para a inusitada cover de Inútil do Ultraje a Rigor e que contou com a participação de Roger Moreira.

A bela Dani Nolden se mantém à frente da banda com maestria em suas apresentações, segura a onda e possivelmente é uma das (senão a) melhores frontwomans do metal atual.

Conheci a Shadowside em 2010 com o álbum “Dare To Dream”, lançado no ano anterior, e confesso que o que me chamou a atenção (mas não tanto) foi uma mulher no vocal. Algo que gosto muito.

Acho que o metal tem tudo a ver com a potência e ao mesmo tempo, delicadeza, da voz feminina.

Até hoje a Shadowside já tem 4 discos lançados, sendo o primeiro deles um EP em 2001 e é notável a evolução de toda a banda, que já começou bem mas que dez anos depois chega ao ápice (até agora) com “Inner Monster Out”.

Se você que está lendo isso se interessou pela banda acho muito válido que escute todos os álbuns, mas se quiser fique à vontade e vá direto para o último sem dó nem piedade. Diversão e boa música garantidas.

A Shadowside nada deve a bandas gringas de metal com mulheres à frente, nada mesmo. A prova disso é o reconhecimento do último disco e também a turnê 2013 com os ícones Helloween e Gamma Ray por toda a Europa.

Isso sem falar que o quarteto já abriu shows do Nightwish e de ninguém menos que o Iron Maiden.

Os fãs brasileiros de metal podem ficar tranquilos, estamos seguros e nossa boa fama de metaleiros continuará mundo a fora e dessa vez na voz e nas mãos de uma mulher: Dani Nolden e sua Shadowside.

Texto escrito pelo colunista Marcelo Coleto 
Marcelo_ColetoPublicitário por vocação, jornalista por paixão. Ou ao contrário. Acha que quase tudo é uma forma de arte e se expressa melhor escrevendo do que falando. Editor do Rock Noize, colaborador da Galeria do Rock, do Mistura Urbana e do Slipknot Brasil.


%d blogueiros gostam disto: