Arquivo da categoria: comportamento

Uma palavra conhecida como ‘fã’

hatebreed

Fã, no dicionário encontramos o seguinte significado: Uma pessoa admiradora de outra pessoa ou algo.

Mas sabemos que é muito Maissssss do que isso. É uma relação, um sentimento imensurável, único para cada um.

Aquele friozinho na barriga que a gente sente quando escutamos um som novo, quando vamos no primeiro, segundo, terceiro show do nosso ídolo, aquela camiseta que compramos e que já tá surrado, desbotada, furada, aquele CD, DVD novo, ou até mesmo aquela relíquia que você já até perdeu as esperanças de encontrar, e quando você encontra inesperadamente para comprar e é tomado por aquele sentimento eufórico, adolescente, energizante.

Ser fã é ser um amigo, uma família, é você se sentir parte da família do seu ídolo, é sofrer e apoiar nas dificuldades, vibrar e pular nas alegrias, é defender com unhas e dentes quando vemos alguém falando mal e principalmente quando falam por falar, sem critérios. Ahhh, ser fã… é uma delícia, é você sempre escutar cada música com aquela magia, igualzinha da primeira vez que você escutou e por algum motivo te cativou.

E mais legal ainda, é quando do nada em uma conversa aleatória, você descobre que aquele seu amigo ou novo amigo curte a mesma banda que você, ops.. curte não.. é tão fã quanto você, e automaticamente sai aquela expressão: Você conhece essa banda????? Ah que demais! E aquele papo vira como se fosse uma conversa de entes queridos que não se encontram há muito tempo, é uma sensação inexplicável.

Ser fã é juntar moedinha por moedinha pra ir no show da sua banda, mesmo sabendo que o preço tá um absurdo, mas você faz o sacrifício, afinal não dispensamos  as oportunidade de ficarmos tão pertinho de nossos ídolo. É baixar o CD, mas fazer questão de comprar tudo original, pra guardar ali preciosamente como um tesouro.

Choramos, gritamos, vibramos, torcemos, entendemos, compreendemos, criticamos,  admiramos, amamos, veneramos, idolatramos… adjetivos nos faltam dizer.. mas ser fã é isso,  é uma palavrinha minúscula, mas com um sentimento gigante.

E adoraríamos saber qual é a banda que faz você ter este misto de sentimentos, conta pra gente 🙂
@patitagil

Anúncios

Rock’n’roll nos tempos de hoje

E compartilhamos com vocês nosso primeiro texto para o site Rock de Verdade.

hatebreedQuando paramos para pensar ou tentar definir o que é o Rock’n’roll nos dias de hoje, várias opiniões e pensamentos surgem na mente. Mas para discutir sobre algo tão polêmico para alguns, vale lembrarmos como era o rock’n’roll de décadas atrás.

Originou-se precisamente em 1950 e teve diversas transformações, para quem não sabe o rock’n’roll tem em seu DNA influências de blues, country, jazz, folk e música clássica.

Desde sua origem foi alvo de diversas críticas, por ser tão diferente, autêntico e com extrema atitude. Não demorou muito para o rock’n’roll servir de voz para tantas pessoas que precisavam gritar em suas revoluções. Ele se tornou uma grande revolução sonora, pois suas letras que serviam como porta-voz para o jovens gritarem sobre assuntos polêmicos como: política, drogas, sexo, igualdade, rebeliões, e foi aí que os roqueiros passaram a ser conhecidos como os rebeldes sem causa.

E de década em década o rock’n’roll foi se transformando gerando novos gêneros e tendo novas influências, porém sempre assumindo um papel muito importante na vida de cada um que o escutava.

Jovens escutam o rock’n’roll da época de nossos pais e se encantam com as letras, com os timbres e muitos de nossos pais que fizeram parte lá trás daquele grupo de “rebeldes sem causa” também não deixam de curtir o rock’n’roll dos dias de hoje. Se formos pensar no rock’n’roll de hoje, seja nacional ou internacional, ele parte sempre da mesma essência. Fala exatamente de acordo com o que cada época vive e sente.

Rock’’n’roll não pode ser comparado, ele tem um significado único para cada um que o escuta.

Encerro este texto com algumas definições sobre o que é o rock’n’roll na opinião de várias pessoas, quando fiz a seguinte pergunta na fan page: Mulheres Roqueiras.

Defina Rock’n’Roll em uma palavra: foda, perfeição, religião, tudo, vida, evolução, indefinível, essência, ousadia, liberdade, igualdade, qualidade, eternidade, estilo de vida, maravilhoso, orgasmo, eternidade, motivação, amor.

@patitagil


Por que preferimos as roqueiras?

Calma! Antes que você que não é roqueira venha descendo a lenha (e qualquer outro objeto) em mim, explico que não estou aqui falando que SÓ curto mulheres roqueiras. Mas que prefiro, prefiro.

Rock antes de visual e algumas vezes até auditivo, é atitude. É isso que gostamos nas mulheres roqueiras.

Em um mundo permeado quase que todo ele por bandas de marmanjos, um som agressivo e cheio de atitudes masculinas, elas encantam os palcos e plateias de shows por aí.

Impossível não gostar de uma Joan Jett não é mesmo? Talvez por causa dela é que hoje o rock and roll colhe os frutos. Cantam e encantam. joan jett

Não generalizando, mas tenho notado muitas “adesões” de mulheres ao rock, seja por bandas mais pesadas, seja por mais populares. Os shows, festivais e bares afora estão cheio delas.

São lindas, sabem conversar e parece que cada uma tem um estilo único. Não ficam pensando no que comprar no shopping, tão pouco qual exercício vai fazer na academia. Não que isso seja errado, mas espera aí, não é só isso.

Talvez por que eu seja um viciado em música de modo geral (puxando mais para o rock) me encanta quando converso com uma mulher e ela entende de música, de rock, ou pelo menos é interessada.

Que me desculpe a sociedade, mas tem que ter muita atitude, num mundo como o nosso, para ser roqueira. As normalmente desprezadas nas escolas se tornam mulheres lindas, inteligentes e diferentes.

Isso que é legal, o diferente! O rock and roll nos permite isso, sermos diferentes uns dos outros apenas com um ponto em comum: o estilo de música.

Não é aquela coisa “uniformizada” que vemos por aí em shoppings, bares, baladas, digamos, de gente “normal”.

Rock And Roll é isso, música, atitude, cultura, pensamento, comportamento e tudo isso nossas mulheres tem de sobra. Felizes de nós, homens que as tem ao nosso lado!

Nada contra, absolutamente nada contra as outras mulheres, mas que prefiro as roqueiras, prefiro.

Texto escrito pelo colunista Marcelo Coleto 
Marcelo_ColetoPublicitário por vocação, jornalista por paixão. Ou ao contrário. Acha que quase tudo é uma forma de arte e se expressa melhor escrevendo do que falando. Editor do Rock Noize, colaborador da Galeria do Rock, do Mistura Urbana e do Slipknot Brasil.


%d blogueiros gostam disto: